A liberdade do comércio

Paulo Freire: “a liberdade do comércio não pode estar acima da liberdade do ser humano. A liberdade do comércio sem limite é licenciosidade do lucro. Vira privilégio de uns poucos que, em condições favoráveis, robustece (sic!) seu poder contra os direitos de muitos, inclusive o direito de sobreviver” (FREIRE, 2004, p. 129-130).

Nenhum comentário:

Postar um comentário