A gestão da cadeia de abastecimento

O primeiro elo da cadeia logística é a área comercial. é ela, conjuntamente com a área de marketing, quem capta o desejo latente ou já explicito o consumidor e o uso dos recursos que dispõe ao torná-lo realidade, estabelecer uma relação biunívoca permanente com ele. Assim, não se trata de estabelecer uma transação eventual, mas um veiculo. (CAMPOS, 2009, P.335). 



Os custos representam parte importante no processo de decisão na administração logística. Variam muito em importância de industria para industria, à medida que as empresas tentam balancear os custos básicos de transporte e de manutenção de estoque, de tal maneira que isso resultem custos totais relevantes baixos. A importância desses custos dependerá das características físicas do produto e de como as políticas administrativas da empresa consideram a logística; com relação a outras categorias de custo e objetivos, dependera da localização; dos recursos da empresa em relação as suas fontes de suprimentos e mercadorias; e do papel que a empresa em relação e a suas fontes de suprimentos e mercados; e o papel que a empresa pode desempenhar em um sistema lógico.(DIAS, 2007,P.13) 



 “O plano mestre da cadeia de abastecimento orienta os planos operacionais. Qualquer disfunção que afete o processo deve ser analisada, ainda que culmine com possíveis alterações nos planos.”(BERTAGLIA ,2003, p. 149). 



A gestão da cadeia de abastecimento, em qualquer organização, deve considerar a integração financeira, o serviço ao cliente e os processos internos da empresa. sem duvida alguma estamos começando a viver a era da organização da cadeia de abastecimento aliada à gestão do relacionamento com o cliente, e a empresas que não atentarem para essa iniciativas terão dificuldades para sobreviver no mercado.(BERTAGLIA.2003.p. 9 ). 



 Martin et al. (2006, p. 335), “existem componentes do sistema logístico que são imprescindíveis para o administrador”: 1. O primeiro elo da cadeia logística é a área comercial. É ela juntamente com a área de marketing, quem capta o desejo latente ou explicito do consumidor e uas dos recursos de que dispõe para torna-lo realidade. 2. Em função dos desejos dos clientes, é projetada a operação da área industrial. Ela envolve a escolha dos recursos tecnológicos mais indicados incluindo os conceitos que hoje são fundamentais para a competitividade. 3. O papel dos fornecedores dentro da logística moderna é o de parceiros operacionais. Esse conceito exige um relacionamento aberto que compreende desde o desenvolvimento conjunto do produto até contratos de fornecimento. 4. Há uma ênfase, cada vez maior, das empresas no fluxo de caixa. A agilização da atividade logística, leva a uma rapidez da geração de caixas pelas empresas. 5. Como atingir nosso cliente . Confiando em nosso produto, este passa a ser o desafio principal da logística: a distribuição física. 6. O lead times - o tempo decorrido desde o inicio até o fim de um processo. 7. A mudança mais marcante dos últimos tempos dentro da sociedade que é globalização. 


Dias (1993, p. 12), “A logística compõe-se de dois subsistemas de atividades: administração de materiais e distribuição física, cada qual envolvendo o controle da movimentação e a coordenação da demanda de suprimento”.


 Martins e Alt (2006, p. 330): Existe em logística três dimensões principais: uma dimensão de fluxo (suprimentos, transformação, distribuição e serviço ao cliente), uma dimensões (processo operacional, administrativo, de gerenciamento e de engenharia) e uma dimensão de domínio ( gestão de fluxos, tomadas de decisão, gestão de recursos e modelo organizacional).


A ampliação da capacidade de produção de celulose da Votorantim celulose e papel (VCP), em Jacareí, viabilizou a reativação do antigo ramal ferroviário da Rede Ferroviária Federal S.A., hoje concedida a MRS logística, no trecho entre Jacareí e Mogi das Cruzes. Agora fazemos apenas dois carregamentos para escoar uma media de 2,5 mil toneladas diárias de celulose, o que representou uma redução de 25% do custo do frete operacional e a eliminação do problema ambiental que teria com os caminhões congestionando e poluindo as rodovias. (Gazeta Mercantil, A313, Jacareí, 19 ago. 2003) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário