(FAYOL, 1990, p. 130).

Aplica-se a tudo: às coisas, ás pessoas, aos atos. Sob o ponto de vista administrativo, é preciso assegurar-se de que o programa existe, é aplicado e está em dia, e de que o organismo social está completo, os quadros sinópticos do pessoal são usados, o comando é exercido segundo os princípios adotados, as conferências de coordenação se realizam etc. (FAYOL, 1990, p. 130). 


Para Chiavenato (2003, p. 176), controle: reside na verificação se a atividade controlada está ou não alcançando os objetivos ou resultados desejados. O controle consiste fundamentalmente em um processo que guia a atividade exercida para um fim previamente determinado.



Vem logo depois do planejamento e da organização. Definido o planejamento e estabelecida a organização, resta fazer as coisas andarem e acontecerem. Esse é o papel da direção: acionar e dinamizar a empresa. A direção está relacionada com a ação, com o colocar-se em marcha, e tem muito a ver com as pessoas. Ela está diretamente relacionada com a atuação sobre os recursos humanos da empresa. (CHIAVENATO, 2003, p. 174).

 A arte de comandar repousa sobre certas qualidades pessoais e sobre o conhecimento dos princípios gerais da administração. Manifesta-se tanto nas pequenas como nas grandes empresas. Ela tem suas gradações como todas as outras artes. A grande unidade que funciona bem e dá seu máximo de rendimento suscita a admiração pública. Em todos os domínios, na indústria, no exército, na política ou alhures, o comando de uma grande unidade exige raras qualidades. (FAYOL, 1990, p. 120).

A partir do momento em que as atividades são exercidas por pessoas diferentes, ou mesmo unidades organizacionais diferentes, será preciso algum esforço para que essas atividades caminhem na mesma direção, no tempo certo, e sejam executadas na quantidade certa. (MAXIMIANO, 2006, p. 43).




Fayol (1990, p. 126-127),coordenação “é considerar, em uma operação qualquer – técnica, comercial, financeira ou outra -, as obrigações e as consequências que essa operação acarreta para todas as funções da empresa.”


agente transformador capaz de ajustar-se com rapidez aos avanços da ciência e da tecnologia no estabelecimento de uma nova ordem […] o impacto da tecnologia na sociedade exige uma permanente atualização das ações educacionais e uma constante reconstrução do seu cotidiano. (GUERRA, 2001, p. 6).

 “a informação e o conhecimento assumem grande importância, e podem chegar a ser mais importantes que os recursos financeiros.” (LACOMBE; HEILBORN, 2003, p. 522)

  Lacombe e Heilborn (2003, p. 492): o conjunto de esforços ordenados e sistematizados visando criar novo conhecimento, difundi-lo na organização para os que dele precisam, e incorporá-lo a produtos, serviços e sistemas, bem como protegê-lo contra o uso indevido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário