Estágio e formação dos professores


Estágio: “o professor completa sua formação com o conhecimento que advém da prática” (ROMANOWSKI, 2007, p. 39).


Pimenta e Lima (2004, p. 45)  “a profissão do professor é uma prática social, como tantas outras é uma forma de intervir na realidade social, no caso por meio da educação que ocorre não só, mas essencialmente, nas instituições de ensino. Isso porque a atividade docente é ao mesmo tempo pratica e ação” [11].



OLIVEIRA (2011, p. 46) “não há neutralidade presumível em processos que dependem de decisão política” [6].


OLIVEIRA (2011, p. 17), “há diferentes modos de compreender o conceito do termo educação, tendo em vista que, de um lado há o seu caráter polissêmico, de outro lado, há as diversas concepções teóricos e filosóficas que podem conferir-lhes distintas interpretações.” [7]


 Freire[8] (1996, p. 59): “[...] o respeito à autonomia e a dignidade de cada um é um imperativo ético e não um favor que podemos ou não conceder aos outros [...]”.


Freire (1996, p. 23):

[...] Não há docência sem discência, as duas se explicam e seus sujeitos apesar das diferenças que o conotam, não se reduzem a condição de objeto, um do outro. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. [...][9]



BURIOLLA (2001, p. 13), “o estágio é o lócus onde a identidade profissional do aluno é gerada, construída e referida; volta-se para o desenvolvimento de uma ação vivenciada, reflexiva e crítica, e por isso, deve ser planejado gradativamente e sistematicamente.” [10]

Nenhum comentário:

Postar um comentário