AS ESCOLAS MUNICIPAIS DE TEMPO INTEGRAL

     Como no Brasil tudo é  realizado no projeto e na prática nada funciona, quase sempre porque o dinheiro não chega. Não poderia ser diferente quando falamos em educação municipal e integral. 
Muito além dos problemas políticos, apesar que as medidas  e os projetos são quase sempre populistas, no caso da educação integral temos um caso sério de negligência por parte da família, que deseja se ver livre dos filhos por algumas horas do dia e coloca seus filhos o dia inteiro na escola, claro que temos pais responsáveis e trabalhadores que colocam seus filhos em escolas de tempo integral por que simplesmente não tem outra saída. 
     O que vemos na escola integral municipal é uma distância enorme entre o que é a escola e o que deveria ser. Entre os muitos problemas posso começar falando da falta de estrutura para que a escola funcione como escola integral, a falta de professores  de modo geral, especializados é um sonho, o público que essas escolas atendem, os bairros que essas escolas estão, a quantidade de horas sem o que fazer, porque não há recursos para realizar atividades diferentes de uma sala de aula de horário normal, os alunos tem que fazer a mesma coisa que fizeram na parte da manhã, quando fazem outra coisa é dentro de uma desestrutura e um despreparo que chega a ser inviável e perigoso que ocorram essas atividades.
    O mais assustador é que essas crianças não estão chegando alfabetizadas no fim do ensino fundamental I, porque a escola em meio a essa desordem e falta de estrutura, não está conseguindo realizar o mínimo que é alfabetizar e formar nessas crianças a consciência cidadão, que compreende que o mundo só funciona dentro da ordem, do respeito, dos deveres, da educação e do direito.   
A escola de tempo integral é um espaço onde as famílias depositam as crianças. e no fim do dia vão busca-las.

J.Nunes
       

Nenhum comentário:

Postar um comentário