Criança desmaia de fome em sala de aula e sobra para a escola.

Criança de oito anos desmaia de fome em escola do Distrito Federal

Estudante precisa se deslocar cerca de 30 quilômetros para chegar até o local onde estuda

Escola é distante cerca de 30 quilômetros de onde mora o estudante / Foto: Reprodução

Escola é distante cerca de 30 quilômetros de onde mora o estudante
Foto: Reprodução
JC Online
Atualizada às 12h40
Todos os dias, crianças que moram no Paranoá Parque, condomínio do Minha Casa Minha Vida, no Distrito Federal, tem de percorrer cerca de 30 quilômetros entre a casa e a escola. Apesar de ter se tornado um hábito; durante esta semana, a distância se transformou em um fardo grande demais para um pequeno de apenas oito anos. O aluno desmaiou durante a aula na Escola Classe 8 do Cruzeiro. O motivo: fome.


De acordo com informações do portal G1, confirmadas pelo JC, a criança desmaiou durante a tarde, período em que está em aula. Por conta da distância, é comum que os estudantes saiam de casa antes do almoço, por volta das 11h e passem o horário do almoço dentro do transporte.
A professora do estudante informou que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e chegou a fazer o atendimento até perceber que o problema era fome. "Até o rapaz praticamente chorou", revelou Ana Carolina Costa em entrevista.
Após recobrar os sentidos, a criança que desmaiou contou aos médicos do Samu que a última refeição feita tinha sido um prato de mingau de fubá, no dia anterior.

Secretaria de Educação

Segundo a Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF), um almoço não é servido às crianças porque não há ensino integral na unidade. Dentre as refeições, apenas um lanche é oferecido durante os turno da manhã e da tarde.

Desde o início do ano letivo, conforme o órgão, as crianças do Paranoá Parque, dos 1º aos 5º anos do ensino fundamental, estudam nas Escolas Classes 05 e 08 do Cruzeiro. Os estudantes da Educação Infantil são encaminhados para Centro de Educação da Primeira Infância Gavião, localizado no Lago Norte. Ao todo, do Paranoá Parque e de outro condomínio, são 730 crianças assistidas pelo transporte escolar do órgão.
A SEEDF acrescenta que a construção de escolas no Paranoá Parque e no Itapoã está em planejamento, com inclusive terrenos destinados a isso. A pasta disse estar, em conjunto com a direção e coordenação regional de ensino, encontrando uma solução razoável para atendimento imediato do problema desta escola.

Sobre a comida

Sobre a comida ofertada aos alunos, a SEEDF informa que "a Escola Classe 8 do Cruzeiro optou por oferecer biscoito como forma complementar, para as crianças que chegam com fome, para que elas possam esperar até o horário do lanche. Na segunda, o cardápio é arroz com feijão; na terça, biscoito cream cracker com vitamina de banana, na quarta, macarronada com cenoura e ovos cozidos. Na quinta, biscoito de rosquinha com suco de tangerina e na sexta, arroz com brócolis e filé de peixe. No entanto, nesta semana, por conta do Sarau, atividade da escola, na última quinta (16/11) foi oferecido macarrão com frango e hoje (17/11), macarrão com carne.
Após o ocorrido, a secretaria de Educação encaminhou uma equipe de nutricionistas à escola para verificar a estrutura da unidade (espaço físico, merendeiras) para a possibilidade de disponibilizar almoço aos estudantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário