A ética contemporânea

“A ética se instaura no âmbito dessa ambiguidade, reconhecendo, por um lado, a fragilidade do humano com suas paixões e, por outro, a tentativa permanente de construir normas que regulem a convivência humana para além da particularidade [...]” (HERMANN, 2001, p.11). 


Hermann (2001, p. 15)  “o esforço da ética surge da necessidade de explicitar, organizar e justificar criticamente a racionalidade implícita no ethos”


Severino (2007, p. 193)  “a ética contemporânea entende que o sujeito se encontra sob as injunções da história que até certo ponto o conduz, mas que é também constituída por ele, por meio de sua prática efetiva”


Sacristán (1999, p. 74) Os sujeitos manifestam-se e expressam-se na ação e o fazem a partir do marco da cultura da prática acumulada que os orienta e que eles utilizam como capital. A prática é fonte de ação, e os caminhos gestados por esta, dentro daquela, podem enriquecê-la e redirecioná-la, condicionando o seu desenvolvimento histórico.  


A ação educativa escolar não é um fazer por fazer, mas um fazer intencional. Tratase da intencionalidade de um coletivo de sujeitos. Essa intencionalidade coletiva, porém, é impossível de ser construída sem que haja um mínimo de clareza teórica no nível dos sujeitos participantes, isto é, sem que os envolvidos nessa construção saibam dar as razões que motivam suas práticas. (BOUFLEUER, 2001, p.10)