Sobre Avaliação

Quando os alunos têm a possibilidade de trocar pontos de vista, de discutir resoluções, de verificar que a mesma tarefa pode ter desfechos diferentes, de assistir ao desenvolvimento de um argumento pessoal por um outro colega, ter de explicar como se descobriu um resultado, é benéfico para o desenvolvimento das suas competências (CARVALHO, 2005, p. 16).


Na sua vida de adulto, o aluno será constantemente confrontado com a avaliação feita por outrem e terá que ser capaz de a ultrapassar, sem se sentir minimizado. Assim, deverá o professor contribuir para que mais tarde esta situação não seja completamente nova. Mas evidentemente que a ação do professor deverá ter um carácter formativo e não destrutivo (SANTOS, 1994, p. 105).


  “haverá muitas novas oportunidades para aprender e alunos diferentes aprenderão de maneiras diversas e em ocasiões diversas” (ABRANTES, s.d., p. 72).