(DEMO, 2002, p.127).

“O conhecimento não deixa nada de pé. Seu ímpeto é desconstruir (...). Depois reconstrói, mas sempre sob o signo da provisoriedade, para poder continuar desconstruindo”. (DEMO, 2002, p.127).