capitalismo e sociedade do consumo

 “tende a impor à humanidade o mais perverso tipo de existência imediata” (Mészáros, 1989, p.20)