a inclusão social


Sassaki (1997): “é um movimento simultâneo, duplo, de reciprocidade, de aliados, de parcerias e não mais de favor, de caridade, mas uma questão de direitos, uma questão até de justiça social, para que todos possam fazer uma sociedade modificada.” ( p. 50 )


Glat (2002): o nascimento de um filho especial, com características distintivas do padrão
culturalmente reconhecido como ´normal` é bem significativo para o grupo familiar, pois tanto a família e o indivíduo especial precisarão a cada dia enfrentar seus medos, suas frustrações e suas limitações, além de uma série de situações geralmente acompanhadas de sentimentos e emoções dolorosas de caráter afetivo, temporal ou econômico. Estas famílias acabam sendo engendradas na
falta de oportunidades, nas atividades preconceituosas e nos rótulos aos quais tanto os indivíduos quanto os demais membros estão sujeitos nas suas relações extra familiares. (p.09). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário