CITAÇÕES PROVA PROFESSOR – CIÊNCIAS HUMANAS

Fusari (1996), “O planejamento é, acima de tudo, uma atitude crítica do educador
diante de seu trabalho docente”.


“O conhecimento tem presença garantida em qualquer projeção que se faça do futuro. Por
isso há um consenso de que o desenvolvimento de um país está condicionado à qualidade da sua
educação. Nesse contexto, as perspectivas para a educação são otimistas. A pergunta que se faz é:
qual educação, qual escola, qual aluno, qual professor?” (GADOTTI, M. Perspectivas atuais da
educação. São Paulo em Perspectiva, 14 (2), 2000, p.3).

“A educação é a ação exercida pelas gerações adultas sobre as gerações que não se
encontram ainda preparadas para a vida social; tem por objeto suscitar e desenvolver, na criança,
certo número de estados físicos, intelectuais e morais, reclamados pela sociedade política do seu
conjunto e pelo meio especial a que a criança, particularmente, se destine.” (DURKHEIM, E.
Educação e Sociologia. São Paulo, Melhoramentos, 1955 apud ARANHA, M.L. de A. História da
Educação e da Pedagogia: Geral e Brasil. 3. ed. São Paulo: Moderna, 2006).

“No mundo burguês, as condições de criação material e espiritual estão determinadas pela
propriedade. O princípio da propriedade privada está presente nas mais diversas relações sociais,
da fábrica à igreja, da fazenda à família, do livro ao poema, do teatro ao espetáculo” (KRUPPA, S.
M. P. Sociologia da Educação. São Paulo: Cortez, 1994, p.72).

“A educação, num sentido amplo, cumpre uma iniludível função de socialização, desde que a
configuração social da espécie se transforma em um fator decisivo da hominização e em especial
da humanização do homem.” (SACRISTÁN, J. G.; PÉREZ GÓMEZ, A.I. Compreender e
transformar o ensino. 4. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998, p. 13).



“As competências, a interdisciplinaridade e a contextualização passaram a fazer parte do
discurso de uma boa parte dos educadores, principalmente a partir das Diretrizes Curriculares
Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM) e dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN e
PCN+). No entanto, isso não significa que suas práticas educacionais estejam em consonância
com as propostas desses documentos. Uma das razões para isso é a dificuldade de compreender
essas noções e implementá-las na sala de aula.” (RICARDO, E.C.; ZYLBERSZTAJN, A. Os
parâmetros curriculares nacionais para as ciências no ensino médio: uma análise a partir da
visão de seus elaboradores. Investigação em ensino de ciências, 13(3), 2008, p. 257).

“O currículo é sempre o resultado de uma seleção: de um universo mais amplo de
conhecimentos e saberes seleciona-se aquela parte que vai construir, precisamente, o currículo.
As teorias do currículo, tendo decidido quais conhecimentos devem ser selecionados, buscam
justificar por que ‘esses conhecimentos’ se não ‘aqueles’ devem ser selecionados.” (SILVA, T. T.
da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 2. ed. Belo Horizonte:
Autêntica, 2007, p. 15).

“Novos conhecimentos são hoje divulgados rapidamente, às vezes até com estardalhaço;
ocupam espaços nobres nas mídias impressas e digitais, internacionais e do país. Nos noticiários,
nem sempre são classificados topicamente, isto é, com base nas disciplinas tradicionais em que
nos formamos – F ísica, Química, Biologia, Geologia. São as novidades de ciências e tecnologia!
Parece que o novo conhecimento ou, pelo menos, sua ampla divulgação se referem mais a
conjuntos ou complexos de saber em ciências e tecnologia (C&T), do que a saberes específicos de
físicos, engenheiros, biólogos...” (ANGOTTI, DELIZOICOV e PERNAMBUCO, 2002, p. 71)

"Numa sociedade desigual, mas aparentemente democrática, há uma distância significativa
entre o discurso de igualdade e a prática concreta, na qual nem todos os cidadãos têm
oportunidades educacionais e profissionais, uma vez que uns são mais ‘iguais’ que outros, pois as
questões relativas à cidadania se vinculam às relações de poder na sociedade". (MACCARIELLO,
2004, p. 54).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Educação Marília

Idep

WWW.CIDADEDEMARILIA.COM

Ideb: Marília ficou em segundo lugar no Estado, atrás apenas de Indaiatuba

A Rede Municipal de Ensino de Marília obteve a nota 7,2 no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica), que é a maior desde q...