A formação do cidadão na escola (Werneck, 1995 p. 13),


Curry (2003, p.142): Há muitas escolas que só se preocupam em prepara os alunos para entrar nas melhores faculdades. Elas erram por se focarem apenas neste objetivo. Mesmo que entrem nas melhores escolas, quando saírem, esses alunos poderão ter enormes dificuldades para dar solução a seus desafios profissionais e pessoais

“A formação para a cidadania é o ponto mais importante e supõe, evidentemente, uma formação pessoal." (Werneck, 1995 p. 13),


Libâneo (2002, p.7):É preciso que a escola contribua para uma nova postura ético-valorativa de recolocar valores humanos fundamentais como a justiça, a solidariedade, a honestidade, o reconhecimento da diversidade e da diferença, o respeito à vida e aos direitos humanos básicos, como suportes de convicções democráticas.


Turra (1998, p.86): É axiomático afirmar que a educação visa à formação da personalidade, logo, do ser humano como um todo, cabendo ao professor abrir perspectivas para o autoconhecimento e a autoformação. O sentido da vida só pode ser aprendido pela própria pessoa, mas as atitudes podem ser ensinadas. Mesmo que o professor não considere as atitudes como objetivos destacados dentro de seu ensino, não pode ignorar que elas afetam a interpretação de tudo o que se percebe. As atitudes se modificam por meio de aprendizagens.

“não podemos dissociar o pensar do agir e do sentir” (Turra, 1998, p. 86)

Arantes (2003, p.157): A sociedade solicita que a educação assuma funções mais abrangentes que incorporem em seu núcleo de objetivos a formação integral do ser humano. Essa proposta educativa objetiva a formação da cidadania, visando que alunos e alunas desenvolvam competências para lidar de maneira consciente, crítica, democrática e autônoma com a diversidade e o conflito de idéias, com as influências da cultura e com os sentimentos e as emoções presentes nas relações que estabelecem consigo mesmos e com o mundo à sua volta. Afinal, estamos falando de uma educação em valores em que as dimensões cognitiva, afetiva, [...] interpessoal e sociocultural das relações humanas, são considerados no planejamento curricular e nos projetos político-pedagógicos das escolas.


 Nunes (1989, p.36): Não tenho dúvida de que cabe a escola um lugar de destaque no alargamento das condições de exercício da cidadania e o domínio da 'norma culta' (no plano da linguagem) e dos conhecimentos, hábitos e comportamentos mais valorizados socialmente (dos quais, uma boa parcela é veiculada pela escola).

"Uma adequada compreensão da relação escola/cidadania supõe que simultaneamente se afirme e se relativize o papel da escola no processo de construção da cidadania (a escola não é a única instância[...] onde a cidadania se forja)" (Nunes, 1989, p. 42). 


Turra (1998, p.87):Todos os educadores reconhecem a necessidade de estimular atitudes positivas, desenvolver apreciações e fortalecer valores, mas o sucesso do aluno é geralmente determinado pelas aprovações obtidas em exames tradicionais ou provas objetivas ou pelas colocações conseguidas através da apresentação de diplomas. Os sistemas educacionais, na realidade, concedem prioridade ao domínio cognitivo.


PCN’s - temas transversais (1998, p. 17) : O compromisso com a construção da cidadania pede necessariamente uma prática educacional voltada para a compreensão da realidade social e dos direitos e responsabilidades em relação à vida pessoal e coletiva e a afirmação do princípio da participação política.


Lorenzato (2006 p. 122): “que formação matemática desejo ao meu aluno? que valores tenho transmitido aos meus alunos?”


 “solidariedade, resolução de conflitos sociais, capacidade de perdoar, questionar estabelecer metas” (Curry, 2003, p. 79).


 O PCN - matemática: Compreender a cidadania como participação social e política, assim como exercício de direitos e deveres políticos, civis e sociais, adotando, no dia-a-dia, atitudes de solidariedade, cooperação e repúdio às injustiças, respeitando o outro e exigindo para si o mesmo respeito.


 Turra (1998, p 87) “é verdadeiro afirmar que a missão de ensinar tem relação com o aumento de conhecimento, mas, para viver, o aluno precisa ampliar seus interesses, formar atitudes sociais.” 


Bicudo & Garnica (2002, p. 33): “a escola há de ser um ambiente propício para a realização de valores” 


 


Nenhum comentário:

Postar um comentário