Citações para trabalhos acadêmicos - Citações diversas



Nossas investigações se juntaram então aos estudos voltados para os saberes mobilizados nas práticas educativas, em particular os saberes da ação, do saber-fazer, da experiência, como resultantes da transformação, na práxis, dos diversos saberes instituídos (curriculares, disciplinares e de formação profissional), bem como dos saberes da prática social e da cultura dos educadores. Nossas pesquisas anteriores revelavam que pelo ângulo da experiência os saberes escolares são retraduzidos, transformados e incorporados pelos docentes nas suas práticas quotidianas, integrando-se à sua identidade e constituindo-se elementos fundantes da condução de sua ação educativa, de seus julgamentos e de suas decisões pedagógicas. (Therrien, 1997, p. 12)


De fato se admitirmos que o movimento de profissionalização é, em grande parte, uma tentativa de renovar os fundamentos epistemológicos do ofício de professor, então devemos extrair daí elementos que nos permitam entrar num processo reflexivo e crítico a respeito de nossa próprias práticas como formadores e como pesquisadores. (Tardif, 2006, p. 254)


Despertar e manter o interesse dos alunos; envolver os estudantes em investigações científicas; desenvolver a capacidade de resolver problemas; compreender conceitos básicos [...] formular, elaborar métodos para investigar e resolver problemas individualmente ou em grupo; analisar cuidadosamente, com companheiros e professores, os resultados e significados de pesquisas, voltando a investigar quando ocorrem eventuais contradições conceituais; compreender as limitações do uso de um pequeno número de observações para gerar conhecimento científico e compreender as funções que exercem na ciência, como são elaboradas e testadas as hipóteses e teorias; permitem que os alunos tenham contado direto com os fenômenos manipulando os materiais e equipamentos e observando organismos. (Krasilchik, 2005, p. 85)


Concluir que os docentes produzem saberes específicos no decorrer de sua práxis educativa, não sendo apenas mediadores ou meros repassadores de saberes produzidos por outros, abre o espaço para o debate sobre a identidade profissional destes atores sociais. A observação empírica da ação docente colocou, para além da natureza social do exercício da profissão, questões de teor epistemológico quanto à natureza, origem e fundamentos dos saberes à base da prática docente. (Therrien, 1997, p. 11)

A finalidade de uma epistemologia da prática profissional é revelar esses saberes, compreender como são integrados concretamente nas tarefas dos profissionais e como estes os incorporam, produzem, utilizam, aplicam e transformam em função dos limites e dos recursos inerentes às suas atividades de trabalho. Ela também visa compreender a natureza desses saberes, assim como o papel que desempenham tanto no processo de trabalho docente quanto em relação à identidade profissional dos professores. (Tardif, 2006, p. 256)


GUIMARÃES:"é compreensível que o acesso ao ensino superior permaneça uma aspiração tão generalizada, mesmo diante das evidências de que as chances de satisfazer essa aspiração sejam reduzidas e monopólio, quase exclusivo, de uma elite sócio-econômica. A ação da estrutura social no campo da educação pode provocar a reação dos indivíduos que, movidos por uma espécie de "instintos de sobrevivência social", busca via escolarização, superar suas próprias origens sociais" (p 36).

MOREIRA (1983):"aprendizagem mecânica (ou automática) é aquela em que novas informações são aprendidas praticamente sem interagir com conceitos relevantes existentes na estrutura cognitiva, sem ligar-se a conceitos subsunçores. Isto é, a nova informação é armazenada de maneira arbitrária e literal, não interagindo com aquela já existente na estrutura cognitiva e pouco ou nada contribuindo para sua elaboração e diferenciação" (p 22).

BELTRAM e CISCATO, 1991: "a pressão para ‘dar a matéria’ e ‘terminar’ o programa, tem resultado na superficialidade da análise dos fenômenos, na má construção dos conceitos e na ausência do relacionamento do assunto com o saber todo da química. Nessas condições este estudo desliza para o seu grau mais baixo e mais inútil: a simples memorização de conceitos e de ‘regrinhas’ para resolver problemas e testes visando passar no vestibular". (p.13)

[...] melhorar o ensino de Ciências e Matemática, identificar, treinar, e apoiar lideranças, aperfeiçoar a formação de professores e promover a busca de soluções locais para a melhoria do ensino e estimular a pesquisa e implementação de novas tecnologias. (Krasilchik, 1987, p.25) 

Num mundo como o atual, de tão rápidas transformações e de tão difíceis contradições, estar formado para a vida significa mais do que reproduzir dados , determinar classificações ou identificar símbolos. Significa: saber se informar, comunicar-se, argumentar, compreender e agir; enfrentar problemas de diferentes naturezas; participar socialmente, de forma prática e solidária; ser capaz de elaborar críticas ou propostas; e, especialmente, adquirir uma atitude de permanente aprendizado. (MEC, 2001, p.9)

Nenhum comentário:

Postar um comentário