Sassaki (1999, p.33): "O direito à inclusão

Padilha (2004) “juntar crianças em sala de aula não lhes garante o ensino, não lhes garante Escola cumprindo o seu papel, não lhes garante aprendizagem e, portanto, não lhes garante desenvolvimento”.

"Desde o princípio do processo educacional, o indivíduo estará tentando impor e afirmar a sua individualidade. Daí surge um choque: pressão por parte da sociedade e resistência por parte do indivíduo" (MAZZOTA, 1996).

Bobbio (1992, p,10) "todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direito"

"Lutar pelos direitos dos deficientes é uma forma de superar as nossas próprias deficiências" (TULIMOSCHI, 2004 apud EMÍLIO FIGUEIRA, 1993 apud J. F. KENNEDY).

“Definir os fins educativos é definir, ao mesmo tempo, a sociedade, a cultura e o homem que se quer promover” (ARANHA, 1996, p.21).

"Trata-se de um movimento de resistência contra a exclusão social, que historicamente vem afetando grupos minoritários, caracterizado por movimentos sociais que visam à conquista do exercício do direito ao acesso a recursos e serviços da comunidade" (MENDES, 2002, p.61)

 Sassaki (1999, p.33): "O direito à inclusão começa a ser um valor assumido por um número crescente de cidadãos e instituições sociais numa linha de defesa de direitos e valores fundamentais inerentes à condição humana".

Nenhum comentário:

Postar um comentário