Formação continuada e especialização para profissionais da educação

Tardif (2002, p. 39): São os saberes desenvolvidos pelos próprios professores no exercício de sua função e na prática de sua profissão, baseados no seu trabalho cotidiano, brotam da experiência e são por ela validados. Incorporam-se à experiência individual e coletiva sob a forma de habitus e habilidades, de saber-fazer e de saber-ser.


Tardif (2002, p.38): Corresponde m aos discursos, objetivos, conteúdos e métodos a partir dos quais a instituição escolar [neste caso, a FEF da UFG] categoriza e apresenta os saberes sociais por ela definidos e selecionados como modelos da cultura erudita e de formação para a cultura erudita [...] apresentam-se na forma de programas [...] que os professores devem aprender a aplicar.


Molina Neto (2003, p. 150):Um tipo de conhecimento impregnado de emoções, preconceitos e valores que o professor [neste caso, o professor em formação] constrói - resultado das informações que acessa e das relações que estabelece com seu contexto mais amplo.




“onde figuram as aprendizagens regulares produzidas pelo curso e que não consta nos planejamentos” (SANCHOTENE; MOLINA NETO, 2006, p. 272).


Pires, é "a formação recebida por formandos já profissionalizados e com uma vida ativa, tendo por base a adaptação continua a mudanças dos conhecimentos, das técnicas e das convicções de trabalho, o melhoramento das suas qualificações profissionais e, por conseguinte, a sua promoção profissional e social"


 "qualquer atividade de formação do professor que já está atuando nos estabelecimentos de ensino... incluindo-se ai os diversos cursos de especialização e extensão oferecidos pelas instituições de ensino superior" (Maria das Graças)

Divulgue acessando: http://literaturaimparcialista.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário