Socioambientalismo (DIAS, 2007, p.01):

Há certa concordância na comunidade científica e em parcelas significativas da população de que as causas destes problemas ambientais devem-se ao aumento extraordinário da população do planeta, ao consumo individual abusivo de parcelas significativas da população (em especial dos países desenvolvidos e das regiões mais desenvolvidas dos países em desenvolvimento) e a continuação da utilização de processos e tecnologias de produção incompatíveis com a preservação dos recursos naturais. (DIAS, 2007, p.01):



[...] Os mercados e, portanto, a organização empresarial, não são autônomos com relação ao conjunto da vida social e não podem ser encarados como engrenagens permanentes, dotadas de regras fixas, imunes ao entorno em que se formam e se desenvolvem. Quando se abre a caixa-preta dos mercados, o que há dentro é sociedade, conflitos permanentes em torno de visões de mundo; interesses e formas de organizar a própria atividade privada. (VEIGA, 2009, p.339)

Nenhum comentário:

Postar um comentário